segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Estágio na Clínica de Grandes Animais

Umas semana atrás eu aproveitei que estava de férias e fui, junto com minha amiga Pat, para Botucatu fazer estágio de vivência na clínica de Grandes Animais da faculdade.
A ideia foi me familiarizar com a medicina de equinos, pequenos e grandes ruminantes, já que eu estou, quase sem perceber, sempre focando em cão e gato na hora de escolher palestras, aulas optativas e estágios.
Isso acontece, com certeza, pela minha maior familiaridade com pequenos animais, afinal, eu sempre fui uma "garota de cidade grande". Então achei que seria bom abrir a minha mente para outras opções, mesmo porque eu sempre gostei muito de cavalo.
Nessa semana ficaram por volta de 8 animais internados, estava mais parado do que de costume uma vez que recentemente a clínica teve que fechar para equinos por consequência de um caso de Anemia Infecciosa Equina,    felizmente nenhum dos animais da faculdade contraiu a doença e a clínica pode reabrir.
Vou contar pra vocês como foi a casuística nessa semana baseado nas minhas pesquisas e nas explicações que os residentes e estagiários nos deram.
Os animais que eu acompanhei foram, uma cabra com anemia decorrente de verminose, um cavalo Quarto de Milha com suspeita de Mieloencefalite Protozoária Eqüina (EPM), uma égua com Púrpura Hemorrágica, uma égua Appaloosa com um potrinho, um mini horse com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) , um bezerro Girolando, um cavalo com uma imunodeficiência característica do cavalo árabe, uma vaca com tumor na face e miíase e um PSI com apatia e claudicação (manqueira).
A cabra com verminose chamava Fofinha, achei legal o cuidado da proprietária que, mesmo sendo bastante carente, não polpou esforços pra levar a cabra pro hospital.
Por conta da verminose, Fofinha estava com as mucosas pálidas e com edema submandibular, tomou vermífugo e estava no hospital até que a contagem de Ovos por Fezes (O.P.G) caísse para pelo menos 200.
Agora começa as "video cassetadas"! eu e minha amiga não conseguíamos dar o medicamento via oral para ela, porque a fofinha babava tudo, no começo foi 10 pra cabra e 0 pras estagiárias! precisamos pegar o jeito de como conte-la para podermos colocar "guela à baixo" o conteúdo das seringas
O Quarto de Milha era um lindo garanhão chamado "Rey" e estava com incoordenação dos posteriores, a principal suspeita é EPM, uma doença parasitária (Sarcocystis neurona) transmitida aos cavalos por Gambás. Como os resultados dos exames são demorados, os residentes escolheram já começar o tratamento.
Mesmo sendo Garanhão, Rey era super calmo e conquistou todos da clínica. Estava sendo iniciado em apartação e ia competir no evento "Potro do Futuro", mas teve que interromper o treinamento por conta da incoordenação.
A égua de quase 20 anos chama Honey e é uma velha conhecida do hospital, estava com edema nos membros posteriores por conta de sua Púrpura Hemorrágica. Além disso o ar que ela respira passa diretamente pela traquéia através de um traqueotubo que nós limpávamos todos os dias.
Para diminuir o inchaço dos pés nós os duchávamos durante uns 15 minutos todos os dias, sinceramente não era muito agradável, mas no fim da semana o edema já estava bem melhor.
Na sexta feira a Honey caiu na baia, todos ficaram muito preocupados pois ela não conseguia se levantar, mesmo com as cordas e com muita gente empurrando. A baia foi revestida com feno para evitar que ela se machucasse enquanto tentava levantar
Foi muito triste ver ela se debatendo,ficando cada vez mais cansada e não conseguindo ficar em pé, também foi nessa hora que eu percebi como esses animais podem ser perigosos e por isso todo cuidado é pouco. Felizmente depois de um tempo Honey conseguiu se levantar sozinha.
 Também estava lá a égua appaloosa e seu potro Thor, que tinha acabado de nascer, era todo desengonçado e curioso. A mãe também tinha um traqueotubo e estava com secreção nos olhos, já o potro Thor teve uma infecção logo ao nascer mas já estava bem.
Hightec era o nome do mini horse (ou pônei) que chegou com um tipo de asma equina, nós acompanhamos a ultra sonografia para avaliar a função cardíaca.
 Eu nunca tinha visto um cavalo tão esquelético como o Josué, um Árabe branco com uma imunodeficiência.
O coitado estava puro osso e não tinha nada que podia ser feito.   
 Chegou lá também um cavalo Puro Sangue Inglês de um Jockey, o cavalo estava mancando do membro posterior, estava com diarréia, apatia e a noite ainda teve cólica, infelizmente eu não fiquei sabendo o que ele tinha porque voltei para São Paulo, mas até agora estou curiosa!
O último animal foi uma vaca muito magra e com o rosto coberto por sangue e miíase (larvas de mosca), espero que ela não tivesse dono porque deixar um animal naquele estado é muito desumano. Nos falaram que ela teve um tumor no rosto e a miíase destruiu seu olho. Coitada!
Eu amei essa semana de estágio, gostei de trabalhar com Grandes Animais e aprendi muuito com os residentes e estagiários da clínica!  todos foram muito simpáticos, atenciosos e pacientes, responderam as nossas perguntas e nos ensinaram com muita boa vontade!
Uma das minhas metas para esse ano é focar no que eu vou querer trabalhar.
 Pequenos, Grandes, silvestres,clínica, dermato, neuro, cirurgia, patologia e etc... tem tantas áreas que vai ser difícil escolher.






5 comentários:

  1. Siga o seu coração na hora de escolher a área para trabalhar. Pense bem antes de decidir e decida com calma! =) Boa sorte na escolha!

    ResponderExcluir
  2. Uau, eu achei esse estágio bárbaro ! Quem trabalha com animais pequenos também atende uns bem violentos...tem uns poodles por ai que atacam mesmo ! O meu vet sempre diz que os pequenos são os piores. O nosso vet tem uma vida interessante, de manhã ele atende no zoobotânico, que tem animais silvestres e alguns grandes também, e de tarde atende cães e gatos na clínica dele. O que eu acho interessante é que a clínica dele não é pet shop, não vende coisinhas para cães mimados, ele é especialista em cirurgia e agora também faz acupuntura. Você logo vai encontrar o que mais ama !
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São mesmo Laís! acho que é porque com os grandões todo mundo toma mais cuidado rsrs
      Que interessante!!
      ele parece ser um ótimo profissional!
      Brigada!!
      Beijoss

      Excluir
  3. Patricia Pellicciari1 de março de 2012 16:31

    ahh que legal marii!!! fazia tempo que nao passava aqui!!! :)
    foi muito bom nosso estágio!!! beijinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom te ver aqui de novo Patt!! =D
      foi mesmo! amei ;]
      Bjss

      Excluir